EUA anunciam sanções contra ministro da Defesa sírio e dois militares

Os Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira sanções contra o ministro da Defesa sírio e contra dois militares de alta patente do Exército da Síria.

As sanções, anunciadas pelo Departamento do Tesouro, consistem no congelamento dos bens de Dawud Rajha, Munir Adanov e Zuhayr Shalish nos Estados Unidos, e na interdição de qualquer contato de americanos com eles.

O ministro Dawud Rajha, nascido em 1947, ocupa este cargo desde agosto graças à sua "lealdade" ao regime de Bashar al-Assad, de acordo com Washington.

Adanov é chefe adjunto do Estado-Maior "desde pelo menos julho de 2010 e acompanhou o presidente Assad em várias viagens internacionais importantes". Ele é alvo de sanções da União Europeia desde agosto, revelou o Tesouro.

Já Shalish, que possui a patente de "major general", "foi guarda-costas pessoal" de Assad.

Os Estados Unidos, que denunciam a violenta repressão da oposição pelo regime sírio, lançaram em abril de 2011, junto com a União Europeia, suas primeiras sanções econômicas contra o regime e seus líderes. Desde então, Washington os estende gradualmente.

Damasco intensificou nesta sexta-feira suas operações militares contra as cidades rebeldes, enquanto o emissário das Nações Unidas e da Liga Árabe, Kofi Annan, pede um cessar-fogo imediato para dar início às negociações de resolução do conflito.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), a violência já provocou a morte de 10 mil pessoas, em sua maioria civis, desde o início da contestação em março de 2011.