Disparos israelenses no Dia da Terra matam 1 palestino 

Um palestino morreu nesta sexta-feira ao receber um disparo de um israelense no norte da Faixa de Gaza, próximo à fronteira com Israel, depois de uma manifestação de milhares de pessoas por causa do Dia da Terra, afirmou um porta-voz médico. Mahmud Zaqut, 20 anos, morreu e outros 37 palestinos ficaram feridos por causa de disparos israelenses próximo a Beit Hanun, informou em um comunicado, Adham Abu Selmiya, porta-voz dos serviços de emergência no território governado pelo movimento islamita Hamas.

Indagado, o exército israelense não quis comentar estas informações por ora. Quarenta palestinos palestinos também ficaram feridos nesta sexta-feira, em confrontos entre palestinos e forças israelenses na Cisjordânia ocupada. Os choques entre jovens que jogavam pedras e soldados israelenses que disparavam balas de borracha e granadas de efeito moral explodiram na represa de Qalandia, perto de Jerusalém.

Em Jerusalém Oriental ocupada e anexada, a polícia israelense prendeu quatro palestinos que oravam na rua porque não podiam entrar na Esplanada das Mesquitas, na Cidade Velha. Apenas os palestinos de mais de 40 anos e com carteira de identidade de residente fornecida por Israel podem entrar na esplanada.

No norte da Cisjordânia, mil pessoas desfilaram por Kafr Qadum, a oeste de Nablus. O setor foi decretado zona militar cercada pelo exército israelense. O Dia da Terra, celebrado todos os anos em 30 de março pela minoria árabe de Israel, lembra a morte, em 1976, de seis membros desta comunidade em manifestações contra o confisco de terrenos pelas autoridades israelenses.