Bolívia promulga lei para normalizar relações com EUA

O presidente da Bolívia, Evo Morales, promulgou uma lei que coloca em vigência um acordo que visa a recompor as relações entre seu país e os Estados Unidos, dois dias após a embaixada norte-americana ter sido acusada de violar a soberania do país.    

O ministro de Relações Exteriores da Bolívia, David Choquehuanca, disse que Morales promulgou o Acordo Marco de Respeito Mútuo apesar das "muitas experiências amargas" nas relações bilaterais, mas com a esperança de torná-las "mais positivas e mais construtivas".   

A norma foi firmada em fevereiro após longas negociações que visavam recompor a relação entre os países "com pleno respeito à legislação nacional e com respeito à soberania dos povos".   

As relações entre os dois países está conturbada desde setembro de 2008, quando o presidente boliviano expulsou o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg, de seu país após acusá-lo de ingerência na política interna.    

Em resposta, a Casa Branca expulsou o embaixador boliviano em Washington, Gustavo Guzmán. Pouco depois, o governo norte-americano eliminou a Bolívia do sistema de preferências aduaneiras dos países latinos que colaboram na luta contra o narcotráfico.    

Na última terça-feira, governo boliviano acusou a embaixada dos Estados Unidos em seu país de violar a convenção de Viena por conta da apreensão de um veículo da missão diplomática norte-americana que transportava armas de Trinidad a Santa Cruz.