Mais dois jornalistas são mortos na Síria

Dois jornalistas 'freelance', entre eles um britânico de origem argelina, morreram na segunda-feira em um ataque do Exército sírio na fronteira sírio-turca, denunciou nesta quinta-feira a organização de defesa da liberdade de imprensa Repórteres sem Fronteiras (RSF).

"A Repórteres sem Fronteiras condena a morte de dois jornalistas 'freelance', mortos durante ataque das forças sírias em 26 de março de 2012, em Darkush, na fronteira sírio-turca, contra umas 50 pessoas que tentavam passar para a Síria", destacou a ONG em um comunicado.

"Logo após uma ofensiva militar, os dois jornalistas 'freelance' de 28 e 32 anos voltaram ao local do ataque para recuperar seu equipamento. Um veículo do Exército sírio investiu contra eles, os dois morreram [atingidos] por tiros", acrescentou a RSF, que denunciou um "duplo assassinato seletivo".

Segundo a associação, "um deles, Walid Blidi, é de nacionalidade britânica e origem argelina". A RSF diz desconhecer a nacionalidade do colega, Nasim Terreri. "Um terceiro jornalista ficou ferido no ataque", acrescentou.