Papa pede em Cuba que ninguém tenha "liberdades fundamentais limitadas"

HAVANA - O Papa Bento XVI pediu nesta quarta-feira ao governo cubano que ninguém na Ilha sofra "limitação de suas liberdades fundamentais", ao concluir uma visita pastoral de três dias a Cuba.

Ao destacar a necessidade de "cimentar uma sociedade de amplos horizontes, renovada e reconciliada" na ilha comunista, o Papa solicitou "que ninguém se veja impedido de aderir a esta apaixonante tarefa devido à limitação de suas liberdades fundamentais".