Plano de escudo antimíssil para Olimpíada preocupa londrinos 

O Ministério da Defesa do Reino Unido recebeu ataques de membros do parlamento britânico pelo modo como está conduzindo a procura de locais para posicionar armamentos terrestres antimísseis no sul de Londres para a proteção nos Jogos Olímpicos de 2012, segundo o jornal The Guardian.

Segundo o jornal, as reclamações dão conta de que o Ministério não consultou os moradores locais e tampouco os membros do parlamento da área.

A pasta confirma que está avaliando locais para posicionar o escudo antimíssil, que é uma parte do apoio militar prometido à organização dos Jogos, que também inclui um navio de guerra no rio Tâmisa, em Greenwich, e caças Tornado estacionados na base da Força Aérea Real de Northolt.

Segundo Clive Efford, membro do parlamento dos distritos londrinos de Eltham e Plumstead, o Ministério da Defesa britânico está avaliando a área de Oxleas Woods. Para o político, que afirma não ter sido procurado pela pasta, esta é uma maneira muito arrogante de abordagem, pois a população não pode ser tranquilizada de antemão.

Efford lembrou também o fato de que os moradores da região fizeram um protesto contra a construção de uma rodovia na área e, de acordo com ele, Oxleas Woods, um importante local de interesse cientifico, somente sobreviveu por conta da vontade da população.

Heidi Alexander, outro membro do parlamento, também se mostrou bastante insatisfeito com a procura de um local para os escudos antimísseis. O político representa o distrito de Lewisham East, que conta com o subúrbio de Blackheath, outra área cogitada para receber os armamentos.

Alexander afirmou à BBC que não gosta da ideia de mísseis em Blackheat e que, já que é necessário fazer uma linha de defesa para lidar com todo o tipo de eventualidade, os escudos deveriam ser instalados em outro lugar.

Já o porta-voz do Ministério da Defesa afirmou que o sistema antimíssil dos Jogos Olímpicos de Londres foi usado na "maioria" das edições anteriores do evento. Além disso, a pasta argumentou que entrou em contato com a Polícia Metropolitana e com as comunidades locais, e também escreveu a todos os membros do parlamento sobre a procura de locais para receber os armamentos militares.

O Ministério da Defesa do Reino Unido também enfatizou que se esforçará ao máximo para minimizar os danos nos locais de quaisquer instalações temporárias.