Espanha admite situação difícil por causa do déficit e promete esforços

O chefe de Governo espanhol, Mariano Rajoy, admitiu nesta quarta-feira uma situação difícil depois de divulgado, na segunda-feira, que o déficit público espanhol em 2011 chegou a 8,51% do PIB, muito acima do objetivo de 6%, e prometeu esforços para reconduzir a situação.

"Baixaremos o máximo que pudermos", afirmou Rajoy ao deixar a sede da Secretaria Geral Ibero-Americana (SEGIB), após anunciar a XXII Cúpula Ibero-americana que aconteerá em novembro, em Cádiz (Sul da Espanha).

"Esta notícia do déficit implica que temos de fazer um esforço", acrescentou Rajoy, detalhando que este esforço será preciso deve ser feito tanto pela administração central, como pelas regiões e prefeituras.

Rajoy, no entanto, não comentou se seu país negociará com a União Europeia um novo objetivo do déficit para 2012, ao invés dos atuais 4,4% do PIB.

Na segunda-feira, o ministro da Fazenda e Administrações Públicas, Cristóbal Montoro, informou que o déficit público espanhol subiu, em 2011, a 8,51% do PIB, muito acima da meta de 6% que era o objetivo do governo espanhol.

Para lutar contra este déficit, o governo já anunciou cortes orçamentários de 8,9 bilhões de euros, altas de impostos no valor de 6,3 bilhões e um plano antifraude com que espera recueprar 8,2 bilhões.