Equipes médicas aplicarão eutanásia a domicílio na Holanda

HAIA - Seis médicos acompanhados de enfermeiras se encarregarão a partir de quinta-feira de visitar doentes sem chance de cura para praticar eutanásia, informou nesta quarta-feira a associação para a qual trabalham.

"A partir da quinta-feira, a ''Clínica do Fim da Vida'' contará com equipes móveis para atender pessoas que tenham os requisitos para que se pratique a eutanásia", declarou à AFP Walburg de Jong, porta-voz da Associação Holandesa para Fim Voluntário da Vida (NVVE).

Estas equipes móveis, compostas por um médico acompanhado de uma enfermeira, visitarão doentes em toda a Holanda.

Se os doentes tiverem os requisitos necessários, esses médicos praticarão a eutanásia que os médicos de família se recusam a praticar, seja por convicção ou porque não são formados para isso, disse Jong. Segundo ele, 70 doentes já manifestaram interesse.

Este projeto, aprovado pelo ministério holandês de Saúde, é criticado por uma das principais associações de médicos do país, que teme que as equipes não conheçam suficientemente os pacientes para avaliar a situação deles de maneira correta.

Segundo a NVVE, cerca de 3.100 eutanásias são praticadas a cada ano na Holanda, primeiro país no mundo a legalizar esta prática, em abril de 2002.

A eutanásia só é autorizada quando o paciente perde o pleno uso de suas faculdades e padece de sofrimentos insuportáveis por causa de uma enfermidade diagnosticada por um médico como incurável.

Cada caso deve ser avaliado por uma das cinco comissões encarregadas de verificar se os critérios da lei foram respeitados.