EUA: referendo constitucional na Síria é 'absoluto cinismo'

Os Estados Unidos afirmaram nesta segunda-feira que o referendo sobre uma nova Constituição organizado um dia antes na Síria é de um "absoluto cinismo". Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado, questionou também como um processo de democratização poderia ser colocado em andamento enquanto os tanques e as tropas do regime de Bashar al Assad continuam disparando contra a população civil.

"Nós o rejeitamos por seu absoluto cinismo", disse Nuland a jornalistas. "Em essência, o que se fez foi colocar no papel que ele controla, em uma votação que ele controla, com o objetivo de tentar manter o controle", completou.

"Além disso, o referendo realizado é ridículo no sentido de que requer que o Estado aprove qualquer desses grupos patrióticos de oposição. Como consequência, vai escolher quem pode estar na oposição e quem não pode", afirmou Nuland. Segundo o governo sírio, a nova Constituição foi aprovada por 89,4% dos eleitores, apesar de a participação ter chegado a apenas 57,4% devido à violência que atinge o país há quase um ano.