Frota de Airbus A380 passará por inspeção devido a fissuras nas asas

A Agência Europeia de Segurança Aérea (Aesa) recomendou nesta quarta-feira a inspeção de 67 aviões do modelo Airbus A380, atualmente em serviço em todo o mundo, devido à descoberta de fissuras nas asas de algumas aeronaves, anunciou um porta-voz da agência.

Em 20 de janeiro, a Aesa já havia ordenado uma inspeção preliminar em cerca de 20 aviões com muitas horas de voo acumuladas (pelo menos 1.300), após a descoberta de micro-fissuras em uma peça (suporte) da asa.

"Com o resultado desta primeira revisão, decidimos expandir a inspeção para toda a frota em circulação, isto é, para todas as aeronaves, independentemente do número de voos já realizados", declarou o porta-voz.

"A ideia é assegurar que não existe qualquer tipo de problema relacionado à segurança das aeronaves", explicou.

Uma nova diretriz de aeronavegabilidade será publicada ainda hoje, detalhando os procedimentos de inspeção.

A primeira avaliação consistia "em uma inspeção visual detalhada", disse o porta-voz. "A nova está baseada em um método dito utilizando as correntes de Foucault: a ideia é gerar um campo magnético de certa intensidade. Se a peça (do avião) não tiver nenhum problema, o campo magnético ficará estável".

Em outras palavras, a nova inspeção permitirá detectar eventuais falhas invisíveis a olho nu. O porta-voz ressaltou que a agência europeia realiza uma "abordagem gradual". "Nós queremos recolher todas as informações possíveis para tomarmos medidas a longo prazo mais apropriadas", insistiu.