Primeiro-ministro paquistanês é processado por ofensa à Suprema Corte

O primeiro-ministro do Paquistão será processado a partir de 13 de fevereiro por ofensa à Suprema Corte ao ter rejeitado há dois anos reativar um processo na Suíça contra o presidente Asif Ali Zardari por suposta malversação de fundos públicos, anunciou seu advogado nesta quinta-feira.

A determinação do tribunal dificulta ainda mais a situação para o chefe de Estado e de Governo, ambos muito impopulares, acusados de corrupção e má administração, e confrontados com a hostilidade crescente das poderosas forças armadas, tudo isto num contexto de profunda crise econômica.

O primeiro-ministro poderá ser obrigado a pedir demissão do cargo, o que enfraquecerá ainda mais o poder de Zardari e poderá provocar eleições legislativas antecipadas.

Em 2009, a Suprema Corte anulou um decreto de anistia geral de 2007 exonerando Zardari do processo, em particular num caso de suposta malversação de fundos públicos nos anos 1990, transferidos para contas na Suíça