Negociações sobre a Síria na ONU seguem sem acordo

As negociações no Conselho de Segurança da ONU sobre um projeto de resolução que condena a repressão na Síria ficaram novamente estancadas nesta quinta-feira, apesar dos esforços dos ocidentais para satisfazer a Rússia, disseram diplomatas.

A reunião realizada à tarde em Nova York "não foi tão boa", disse o embaixador indiano, Hardeep Singh Puri, alguns dias depois do início das discussões na ONU sobre a crise na Síria.

O embaixador da China, Li Baodong, afirmou ao fim da reunião que é necessário realizar "novas consultas". "Estamos perto (de um acordo), mas ainda não existe", disse à impresa.

No início do dia, os países ocidentais divulgaram um texto que não menciona a transferência de poderes do presidente sírio, Bashar al Assad, para seu vice-presidente com a esperança de conseguir a aprovação da Rússia, principal aliado do regime.

Depois de 10 meses de violência na Síria nos quais, segundo as Nações Unidas, morreram mais de 5.400 pessoas, a Rússia está submetida à pressão para que seja mais forme com Assad e seu regime.

Rússia, assim como a Índia, insistiram desde o começo das negociações que o Conselho não devia condicionar nenhum dos pontos de uma transição democrática na Síria exigindo a priori que o presidente Al-Assad ceda o poder.