Manifestantes protestam contra tragédia em estádio de futebol no Egito

Milhares de manifestantes ocupam a tradicional Praça Tahrir, no centro do Cairo, para protestar contra a tragédia que deixou mais de 70 mortos em um jogo de futebol na cidade mediterrânea de Port Said.

As autoridades reforçaram o esquema de segurança, temendo novos confrontos entre torcedores do Al Ahli e do Al Masry, time local de Port Said. A cúpula da junta militar reuniu-se nesta quinta=feira com alguns dos jogadores envolvidos no conflito e prometeu investigar e punir os que estiveram por trás dos distúrbios.

O tumulto começou quase no final da partida, quando o Al Masry, mandante do jogo, vencia por 3 x 1. Testemunhas disseram que a confusão começou depois que torcedores do Al Ahli abriram cartazes ofendendo Port Said, e um deles entrou no campo com uma barra de ferro. A torcida do Al Masry reagiu invadindo o gramado e agredindo os atletas do Al Ahli, e depois voltou às arquibancadas para bater em torcedores rivais.

A maioria das mortes foi de pessoas pisoteadas pela multidão ou que caíram das arquibancadas, segundo testemunhas.

A TV estatal disse que a Federação Egípcia de Futebol suspendeu por tempo indeterminado os jogos da primeira divisão do país.