Síria: dez meses de revolta e de repressão sangrenta

DAMASCO, 15 janeiro 2012 (AFP) - Principais datas da revolta contra o regime de Bashar al-Assad na Síria, onde a repressão deixou mais de 5.000 mortos desde meados de março, segundo a ONU.

MARÇO DE 2011

- 15: Manifestação, em Damasco, atendendo a uma convocação feita pelo Facebook por "uma Síria sem tirania, sem lei de emergência, nem tribunais de exceção".

- 18-27: Protestos reprimidos em Damasco, Banias (noroeste) e Deraa, berço da onda de contestação no Sul (100 mortos, no dia 23). Violência em Lattaquié (noroeste).

ABRIL

- 18: As autoridades denunciam uma "rebelião armada de grupos salafistas".

- 21: Assad anuncia o levantamento do estado de emergência e a abolição do Tribunal de Segurança do Estado. No dia 22, houve mais de 80 mortos.

- 25-26: Reforços do Exército em Deraa. A contestação se amplia e se radicaliza com apelos à queda do regime.

MAIO:

- 7-8: O Exército intervém em Banias, Homs e na província de Deraa.

- 10: A UE sanciona Assad, punido também, no dia 18, por Washington.

JUNHO

- 6: 120 policiais mortos em Jisr al-Choughour (noroeste). Damasco acusa "grupos armados", testemunhas falam de motim.

- 13-26: O Exército se mobiliza perto do Iraque e da fronteira turca e depois, perto do Líbano.

JULHO

- 1: Mais de um milhão de manifestantes, em particular em Hama (norte) e Deir Ezzor (leste).

- 31: 139 mortos, entre eles 100 durante uma ofensiva do Exército em Hama.

AGOSTO

- 3: Declaração do Conselho de Segurança que "condena as violações generalizadas dos direitos do Homem".

- 18: Obama e seus aliados ocidentais pedem a saída de Assad.

OUTUBRO

- 2: Em Istambul, lançamento do Conselho Nacional Sírio (CNS), que reúne a maioria das correntes de oposição.

- 29-30: 47 soldados e membros das forças de segurança mortos durante confrontos com desertores.

NOVEMBRO

- 2: A Liga Árabe participou de um acordo com a Síria sobre um plano prevendo o fim das violências, a libertação de detidos, retirada do Exército e livre circulação de observadores e da imprensa.

- 12: A Liga Árabe suspende a Síria de suas reuniões.

- 16: Ataque a um 'centro dos serviços secretos perto de Damasco pelo Exército sírio livre (ASL), com sede na Turquia.

- 27 e 30: Sanções econômicas da Liga Árabe e da Turquia.

DEZEMBRO

- 2: O Conselho dos Direitos do Homem da ONU condena Damasco, após um relatório denunciando crimes contra a humanidade.

- 20: 123 civis mortos (militantes).

- 23: 44 mortos em dois atentados suicidas visando prédios da segurança, em Damasco.

- 26: Chegada de uma primeira delegação de observadores árabes.

JANEIRO DE 2012

- 6: Pelo menos 26 mortos em atentado suicida em Damasco.

- 8-9: A Liga Árabe se pronuncia pelo prosseguimento da missão de observadores, alvo de muitas críticas.

- 10: Assad vê nas manifestações um "complô estrangeiro" e promete responder.

- 11: O jornalista francês, Gilles Jacquier, é morto na queda de um morteiro, em Homs.

- 14: O Emir do Qatar se diz favorável ao envio de tropas árabes. Washington acusa o Irã de fornecer armas a Damasco.

- 15: Anúncio de uma anistia. O secretário-geral da ONU pede a Assad que "pare de matar".