Protesto em frente a Casa Branca pelos 10 anos de Guantánamo

Militantes da organização "Testemunhas contra a Tortura", vestindo roupas alaranjadas ou presos em jaulas, se reuniram nesta segunda-feira em frente à Casa Branca para exigir o fechamento da prisão de Guantánamo, aberta há 10 anos pelos Estados Unidos, observou a AFP.

Pequenos grupos se manifestarão 24 horas por dia até a quarta-feira, data do aniversário da chegada dos primeiros prisioneiros à polêmica prisão situada em uma base americana no sudeste da ilha de Cuba.

Também haverá um grande comício convocado por organizações de defesa dos direitos humanos, entre elas a Anistia Internacional.

Os manifestantes, que também realizam um jejum em uma igreja de Washington, reivindicam o fechamento da prisão de Guantánamo, "como tinha prometido o presidente Barack Obama", assim como a de Bagram no Afeganistão.

Exigem, além disso, a suspensão da Lei de Autorização da Defesa, que permite deter por tempo indeterminado e sem julgamento acusados de atentar contra a segurança nacional.

"Já faz dez anos que as pessoas podem ser detidas por tempo indeterminado e sem julgamento, sem saber quando serão libertadas nem de que são acusadas", denunciou Brian Terrell, um dos manifestantes entrevistado pela AFP.