Ao menos 24 mortos em ataques interétnicos no Sudão do Sul 

Ao menos 24 pessoas morreram em novos ataques interétnicos no Sudão do Sul, onde a violência tribal das últimas semanas já deixou muitas vítimas, indicaram neste domingo autoridades locais. 

"No condado de Akobo Leste, a cidade de Deng Jok foi atacada (no domingo) e morreram 22 pessoas’, declarou à AFP o governador do estado de Jonglei (leste), Kuol Mayang. O funcionário acrescentou que outras 20 pessoas ficaram gravemente feridas e foram internadas em um hospital. 

"Também houve um ataque no povoado de Kaikuin, em Akobo Oeste. Duas mulheres morreram, e roubaram gado’, acrescentou. 

Nas últimas semanas, cerca de 8 mil jovens armados da tribo Lou Nuer atacaram povos da tribo rival Murle, ao redor da localidade de Pibor. 

Dezenas de milhares de pessoas precisaram fugir, e não se sabe o número exato de vítimas. 

A coordenadora humanitária da ONU para o Sudão do Sul, Lise Grande, anunciou na semana passada que ‘dezenas, talvez centenas’ de pessoas podem ter morrido nestes ataques. 

Joshua Konyi, comissário do condado de Pibor e da etnia Murle, afirmou que 3.141 pessoas morreram, um balanço que não foi confirmado por outras fontes.