Obama pede proteção a cristãos coptas no Egito

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira proteção para a comunidade copta e outras minorias do Egito em um momento em que esse grupo cristão se dispõe a celebrar o primeiro Natal da era pós-Mubarak. "Tal como demonstraram os eventos no Egito e em outros países (...), a proteção das pessoas de todas as fés e a possibilidade de culto são cruciais para uma sociedade pacífica, inclusiva e próspera", disse Obama em comunicado sobre a celebração do Natal copta.

O documento afirma que Obama e sua mulher, Michelle, "desejam aos cristãos ortodoxos coptas nos Estados Unidos e em todo o mundo um Feliz Natal". O presidente reafirmou "o compromisso dos Estados Unidos para trabalhar em prol da proteção dos cristãos e outras minorias religiosas em todo o mundo".

Esses comentários ocorrem quando começou a ser implementado no Egito um plano para proteger as igrejas egípcias diante da missa de Natal liderada pelo patriarca Shenuda III na Catedral de Abbassiya do Cairo, com a presença pela primeira vez dos líderes islâmicos. Os cristãos coptas, que representam de 6% a 10% da população egípcia, têm seu próprio calendário, no qual o Natal ocorre em 7 de janeiro.