Coreia do Norte pede que seu povo defenda o novo líder até a morte 

A Coreia do Norte pediu neste domingo, hora local, que o povo defenda o novo líder Kim Jong-Un até a morte, em um editorial sobre o Ano Novo que estabelece a política do país para 2012.

"Partido, exército e todo o povo devem possuir a firme convicção de que se tornarão escudos humanos na defesa de Kim Jong-Un até a morte", afirma o texto.

Mais cedo, uma nota da mídia estatal afirmou que Kim Jong-Un assumiu o "comando supremo" do exército do país.

Kim Jong-Un já havia sido declarado "líder supremo" do país durante as cerimônias em memória de seu pai na quinta-feira, quando a nação completou os 13 dias de luto pela morte de Kim Jong-Il.

"O querido e respeitado Kim Jong-Un assumirá o comando supremo do Exército Popular da Coreia em 08 de outubro," de acordo com a declaração da agência de notícias estatal KCNA.

Apesar do comunicado deste sábado ser a primeira confirmação oficial de que Kim controlará as forças armadas, relatos anteriores sugerem que ele já estava à frente da instituição quando seu pai ainda estava vivo.

O exército norte-coreano é o quarto maior do mundo em número de soldados, com 1,2 milhão de membros.