Pyongyang reúne milhares de soldados em funeral de Kim Jong-il 

A Coreia do Norte organizou nesta quinta-feira uma gigantesca mobilização militar em Pyongyang, para homenagear seu dirigente falecido Kim Jong-il, informou a TV estatal.

O presidente da Assembleia Popular, Kim Yong-nam, que exerce a função cerimonial de chefe de Estado, pronunciou um discurso para os milhares de militares presentes à imensa Praça Central da capital norte-coreana.

Milhares de civis também acompanharam o ato, de outro ponto da esplanada. Atrás de Kim Yong-nam era possível ver Kim Jong-un, filho mais novo e sucessor de Kim Jong-Il.

A quinta-feira marca o último dia de luto nacional por Kim Jong-Il, que dirigiu a Coreia do Norte nos últimos 17 anos e faleceu no dia 17 de dezembro, por problemas cardíacos.

O Exército desempenha um importante papel na Coreia do Norte, dirigida sob a doutrina do "songun" ("primeiro o exército"), iniciada nos anos noventa por Kim Jong-il para mantener seu regime, fragilizado pela queda do bloco comunista na Europa Oriental e na União Soviética.

O outro principal centro do poder é o Partido dos Trabalhadores da Coreia, único do país.

O jovem Kim Jong-un foi chamado de "líder supremo do Partido, do Estado e do Exército" pelos meios de comunicação do regime, mas ainda não ocupa oficialmente estes cargos.

A dinastia começou com seu avô, Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte comunista, que foi sucedido por Kim Jong-il, em 1994.