Venezuela rumo a se tornar o país mais violento da América do Sul

A Venezuela pode encerrar 2011 com um recorde na taxa de assassinatos que a situará como o país mais violento da América do Sul, segundo dados divulgados por um instituto de pesquisas sobre a criminalidade.

O Monitor de Violência da Venezuela (OVV) anunciou na terça-feira que 19.336 pessoas foram assassinadas em 2011, uma média de 53 por dia em um país de 29 milhões de habitantes.

"Precisamos informar à nação que 2011 terminará como o ano mais violento da história do país", informou o instituto em um comunicado.

Os números demonstram que a taxa de homicídios saltaram para 67 por 100 mil habitantes em 2011, representando uma "epidemia" de violência.

Os crimes violentos são a maior preocupação, tanto para os venezuelanos que temem por sua segurança pessoal, quanto para o governo do presidente Hugo Chávez, que divulga apenas números limitados sobre a violência no país.

Em fevereiro, o Ministro do Interior admitiu que a taxa de homicídios saltou para 48 assassinatos por 100 mil habitantes em 2010, mas não deu uma contagem precisa, afirmando apenas que houve 14 mil assassinatos naquele ano.

As taxas de homicídio na Venezuela em 2010 e 2011 são as mais elevadas da América do Sul, segundo dados do governo.

A taxa de assassinato no país superou a da vizinha Colômbia, com 32 por 100 mil habitantes no ano passado. O país sofre com a violência da guerrilha.