Exército egípcio afirma ter descoberto plano para incendiar Parlamento

O Conselho Militar do Egito, no poder desde a queda do presidente Hosni Mubarak,  em fevereiro, afirmou nesta segunda-feira ter descoberto um plano para incendiar o Parlamento.

O general Adel Emara, membro do Conselho Supremo das Forças Armadas, interrompeu uma coletiva de imprensa para informar que "havia recebido uma ligação sobre um plano descoberto para incendiar o Parlamento".

Segundo ele,  havia "uma enorme multidão na praça Tahrir pronta para implementar o plano".

Um repórter da AFP na Praça Tahrir informou que centenas de manifestantes se encontram no local para acompanhar o funeral de uma das vítimas mortas nos recentes distúrbios.

Na periferia de Tahrir, onde um prédio com arquivos nacionais foi destruído nos distúrbios, os manifestantes tentavam salvar documentos remanescentes, informou ainda.

A declaração de Emara acontece quando mais uma pessoa foi morta nos confrontos entre manifestantes e forças de segurança.