Confrontos sangrentos entre exército e desertores na Síria 

O exército sírio e desertores travaram sangrentos combates neste domingo no centro e no noroeste da Síria, palco de uma revolta reprimida cruelmente há nove meses, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). 

Na província de Idleb (noroeste), cinco civis morreram ao serem atingidos por disparos nas localidades de Kfar Nabl, Saraqueb e Khabal al Zauia, e prosseguiram os confrontos entre soldados e desertores pelo segundo dia consecutivo em vários povoados e cidades desta região próxima à fronteira turca, segundo o OSDH, cuja sede encontra-se em Londres. 

Em Quseir, na região de Homs (centro), um bombardeio com armas pesadas destruiu parcialmente várias casas e foram registrados confrontos entre soldados e desertores, acrescentou a fonte. 

Ao menos seis soldados, incluindo um oficial, foram mortos, e três veículos blindados ficaram destruídos, afirmou o OSDH, que acrescentou que os desertores detiveram dois oficiais. 

A greve geral convocada há uma semana pelos militantes pró-democráticos prossegue. 

Segundo o OSDH, as comunicações telefônicas e a internet estavam cortadas em Maaret al Noman, e também a eletricidade durante doze horas diárias. A greve está sendo ‘amplamente seguida na maioria das localidades e povoados da província de Deraa’ (sul). 

Nesta mesma província, ‘as forças armadas começaram a levantar as barricadas colocadas pelos moradores’ em Tafas, segundo a mesma fonte. 

Os ativistas pró-democráticos lançaram um movimento de desobediência civil iniciado com uma greve geral no dia 11 de dezembro.