Clinton saúda resolução da ONU contra Síria

A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, saudou nesta sexta-feira (2) a resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU (CDH) de condenar a Síria pelas atrocidades cometidas, e estimou que tal decisão reforçará o isolamento do regime de Damasco.

A resolução "mostra que o regime de (presidente sírio Bashar al) Assad está agora mais isolado e o submete a uma pressão internacional mais forte do que nunca", declarou a chefe da diplomacia americana.

"É claro que o governo sírio está pronto para tudo com o objetivo de sufocar as aspirações legítimas do povo", destacou Clinton em seu retorno à Washington após visita a Myanmar.

"Os Estados Unidos apoiam firmemente os esforços do Conselho para expor os abusos do regime de Assad e responsabilizar os que violam os direitos humanos".

Em sessão extraordinária celebrada nesta sexta-feira e convocada após a publicação de um chocante relatório sobre os crimes contra a humanidade atribuídos ao regime sírio, o Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU condenou "as violações estendidas, sistemáticas e flagrantes" dos direitos humanos e das liberdades fundamentais na Síria.

As autoridades sírias foram formalmente acusadas de "crimes contra a humanidade" pela morte de mais de 4 mil pessoas em nove meses de repressão.