Trabalhadores gregos cruzam os braços por 24 horas

Os trabalhadores da Grécia prometem para hoje (1º) um dia de paralisação geral. Os  sindicatos gregos dos setores público e privado promovem a greve por 24 horas. O lema do movimento é "Não ao Orçamento de Rigor e Aproxima-se a Hora da Verdade". Será a 15ª greve geral no país nos últimos dois anos – a mais recente paralisação foi nos dias 19 e 20 de outubro. É a primeira mobilização nacional durante o novo governo do primeiro-ministro Lucas Papademos.

Os grevistas prometem paralisar os transportes públicos, incluindo o metrô e as barcas, além dos voos domésticos e internacionais. O objetivo é protestar contra o pacote de austeridade que o governo grego pretende adotar no país. Pelas medidas, devem ser cortados salários e benefícios, reduzidos os postos públicos e reajustados os impostos e tarifas públicas.

A greve geral coincide com o início da discussão do orçamento de Estado para 2012, quando os líderes dos partidos políticos se comprometeram com a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) a cumprir as medidas de austeridade – exigidas pelos órgãos para manter a  assistência financeira internacional.

Os gregos paralisarão suas atividades um dia depois de cerca de 2 milhões de britânicos cruzarem os braços também em protesto. A paralisação de ontem (30) na Grã-Bretanha foi convocada em protesto às medidas em estudo pelo governo que sugerem nova base de cálculo para o pagamento de benefícios da Previdência Social e impõem mais tempo de atividades aos trabalhadores.