Fidel Castro critica eventual ataque ao Irã

O líder cubano Fidel Castro advertiu nesta segunda-feira que uma agressão ao Irã por parte de Israel, apoiada pelos Estados Unidos, desencadeará uma "guerra sangrenta", com consequências imprevisíveis.

"Uma guerra sangrenta começaria inevitavelmente. A respeito disso não deve existir dúvida alguma", afirma Fidel na segunda parte do artigo "Cinismo genocida".

Fidel Castro, 85 anos, seis deles afastado do poder por problemas de saúde, afirmou que por sua capacidade de luta, número de habitantes e extensão do país, uma agressão ao Irã não tem semelhanças com as "aventuras bélicas de Israel no Iraque e Síria no passado".

Ele também destacou que Israel possui um elevado número de "armas nucleares e da capacidade de fazê-las chegar a qualquer ponto da Europa, Ásia, África e Oceania".

"Penso realmente que nenhum país do mundo deve possuir armas nucleares, e que esta energia deve ser colocada a serviço da espécie humana. Sem este espírito de cooperação, a Humanidade marcha inexoravelmente para sua própria destruição", completou o líder.