Liga Árabe suspende a Síria e retira embaixadores de Damasco

Brasília - A Liga Árabe suspendeu a Síria de todas as reuniões do bloco e pediu que os embaixadores árabes deixem o país até que o governo de Damasco ponha fim à violência contra os manifestantes antigovernamentais, segundo anunciou hoje (12) o representante do Catar.

Hamad ben Jassem al-Thani, ministro dos Negócios Estrangeiros e primeiro-ministro do Catar, falou no final de uma reunião ministerial extraordinária, na sede da organização, no Cairo (Egito), destinada a discutir medidas contra Damasco, que há dez dias aceitou um plano de saída para a crise, mas que ainda não foi aplicado.

O ministro do Catar disse ainda que a suspensão da Síria começa na quarta-feira (16) e acrescentou que a decisão foi aprovada por 18 dos 22 países-membros da Liga Árabe. Líbano, Iêmen e a própria Síria votaram contra, enquanto o Iraque se absteve.

Em comunicado, Hamad ben Jassem al-Thani relatou que a Liga Árabe pediu a aplicação de "sanções econômicas e políticas contra o poder na Síria" e apelou a todas as correntes da oposição síria para que se reúnam no Cairo para encontrar "um projeto único para a gestão da transição na Síria".