Berlusconi afirma que colocou interesses do país acima dos seus próprios

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, afirmou hoje que colocou o "interesse do país" acima dos seus ao decidir renunciar ao cargo. "Eu antepus o interesse do país ao meu, ao do governo e à minha parte política", disse o premier, que deve deixar o cargo após a aprovação da Lei de Estabilidade, cujo objetivo é diminuir a dívida pública da Itália.    

Em entrevista à imprensa local, Berlusconi garantiu que está em contato com o presidente do país, Giorgio Napolitano, para adotar medidas coordenadas e discutir a possibilidade dos "presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado de pedir a aceleração dos trabalhos para a aprovação da Lei de Estabilidade".    

O premier italiano anunciou ontem que deixará o poder depois da aprovação dessa lei, que reúne medidas econômicas solicitadas pela União Europeia (UE).    

A decisão de Berlusconi foi tomada após ele constatar que não detém mais o apoio da maioria no Parlamento. Os rumores e pedidos de renúncia, porém, já haviam se intensificado na semana passada, durante a Cúpula do G20, em Cannes, na França.   

A Itália atualmente possui uma dívida pública correspondente a 120% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O governo de Berlusconi elaborou planos de austeridade, mas isso não foi o suficiente para conter os mercados.