Estudo: 48% dos estudantes do ensino médio nos EUA sofrem assédio sexual

Cerca de 48% dos estudantes de 11 a 18 anos nos Estados Unidos sofreram assédio sexual no último ano letivo, pessoalmente ou através da internet ou mensagens de texto, segundo um estudo realizado em nível nacional e publicado nesta segunda-feira.

Cerca de 87% destes estudantes afirmaram que a experiência teve um impacto negativo neles, segundo a pesquisa, que interrogou 1.965 alunos do ensino médio, realizada pela Associação Americana de Mulheres Universitárias (AAUW, em inglês).

As estudantes têm mais chances de ser assediadas que os homens, em uma relação de 56% a 40%, tanto pessoalmente quanto através de e-mail, redes sociais ou mensagens de texto.

"O assédio sexual é parte da vida diária na educação secundária", afirma o relatório de 76 páginas, realizado após um estudo anterior sobre bullying nos centros de ensino.

"Os estudantes assediados sexualmente que participaram do estudo da AAUW afirmaram ter problemas para estudar, resistência para ir para a aula, e dor de estômago", enumera o documento.

Alguns estudantes ficam em casa. Outros faltam a algumas aulas, suspendem atividades extracurriculares ou até mesmo mudam de escola.

Mas apenas 9% deles falaram dos incidentes aos seus professores, ou a assistentes sociais, segundo o relatório, que convoca os educadores a serem mais ativos através da prevenção deste tipo de abuso.