Síria: violentos confrontos são registrados entre soldados e desertores 

Violentos confrontos foram travados nesta quinta-feira entre o Exército regular e homens armados em uma cidade do centro da Síria, indicou o presidente do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), segundo o qual os homens armados podem ser desertores.

"Violentos confrontos opuseram neste dia soldados a homens armados, que eram visivelmente desertores" em Bourhaniyyé, próximo à cidade de Qousseir, na região de Homs, indicou Rami Abdel Rahmane por telefone à AFP.

Citando moradores da cidade, ele acrescentou que "estes confrontos tinham deixado vários mortos e feridos entre os soldados, além da destruição de dois veículos militares" do Exército regular. Ele não indicou o número de vítimas.

A energia elétrica, a água e as comunicações foram cortadas na cidade de Qousseir, segundo o presidente do OSDH.

Estes confrontos são registrados no momento em que os ataques contra o Exército regular e batalhas envolvendo supostos desertores se intensificam, com as forças de segurança enfrentando uma oposição armada cada vez maior.

A violência recrudesceu, sobretudo, na região de Homs, em particular em torno da cidade de Qousseir, na fronteira com o Líbano.

Os confrontos deixaram pelo menos 5 civis e 7 soldados mortos na quarta-feira nas cidades de Joussiyé e Nazariyé, vizinhas a Qousseir.

Outras 11 pessoas foram mortas na quarta-feira por partidários do regime do presidente Bashar al-Assad e pelas forças de segurança em ataques em todo o país, segundo militantes.

De acordo com a ONU, mas de 3.000 pessoas, em sua grande maioria civis, morreram na repressão desde o início da onda de contestação, no dia 15 de março na Síria.