Senador americano John McCain diz que a Líbia agora está livre

O senador americano John McCain afirmou nesta quinta-feira que a morte de Muamar Kadhafi marcou o fim da "primeira fase" da revolução na Líbia e pediu o estreitamento dos laços entre Washington e Trípoli.

"A morte de Muamar Kadhafi marca o fim da primeira fase da revolução líbia. Enquanto algumas batalhas finais continuam, o povo líbio libertou seu país", afirmou em um comunicado o legislador republicano pelo Arizona e ex-candidato à presidência dos Estados Unidos em 2008.

Seus comentários foram feitos pouco depois do porta-voz dos rebeldes do Conselho Nacional de Transição na Líbia afirmar que Kadhafi foi morto pelas forças do novo regime, em seu ataque final ao último reduto da resistência em sua cidade natal, Sirte.

"Agora o povo líbio pode concentrar todo o seu imenso talento no fortalecimento de sua unidade nacional, na reconstrução de seu país e sua economia, em continuar com sua transição para a democracia, protegendo a dignidade e os direitos humanos de todos os líbios", indicou McCain.

"Os Estados Unidos, junto com nossos aliados europeus e os sócios árabes, devem agora aprofundar nosso apoio ao povo líbio, quando trabalham para a seguinte fase de sua revolução democrática, tão bem-sucedida quanto a luta para libertar seu país", afirmou.