Seis civis morrem baleados na região síria de Homs

Seis civis, entre os quais uma mulher, foram mortos a tiros nesta quarta-feira na Síria, onde o regime do presidente Bashar al-Assad reprime violentamente há vários meses uma revolta popular, segundo um novo balanço do Observatório sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Quatro pessoas foram mortas a tiros por uma milícia civil, os "chabbiha", em um bairro de Homs, um dos centros do movimento opositor iniciado em meados de março na Síria.

O regime do presidente Bashar al-Assad confiou um papel importante a essas milícias civis para conter a revolta popular.

Outros dois civis, entre os quais uma mulher, foram mortos a tiros perto de Al Qusseir (região de Homs), palco desde segunda-feira de confrontos entre o exército regular e homens armados que seriam desertores, indicou o OSDH.

Segundo esta ONG com sede em Londres, um sétimo civil, ferido na véspera em uma localidade perto de Damasco, faleceu na madrugada desta quarta-feira.

Na segunda-feira, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, subiu o tom perante o presidente Assad, convocando-o a "parar com as matanças" no país.

Desde meados de março, mais de 3 mil civis morreram na repressão do movimento opositor, segundo a ONU.