Irã denuncia relatório da ONU sobre direitos humanos

O chefe do Judiciário iraniano denunciou nesta quarta-feira o novo relatório da ONU sobre os direitos humanos no Irã, afirmando que o documento contém informações falsas.

O aiatolá Sadeq Larijani chamou de absurdo o relatório da ONU, obtido na última segunda-feira pela AFP, em declarações publicadas pelo site da TV estatal.

"O relatório não faz mais do que enumerar denúncias de facções contrárias e hostis ao regime", considerou Larijani, afirmando que isso compromete a neutralidade de seu autor, Ahmed Shaheed, novo relator da ONU sobre a situação dos direitos humanos no Irã.

"Como pode um relator especial de uma organização internacional preparar um documento com essas mentiras?", questionou o funcionário iraniano, assinalando que os princípios dos direitos humanos em seu país são diferentes dos ideais ocidentais.

Segundo o relatório da ONU, houve, no ano passado, mais de 300 execuções secretas no Irã, país que executa oficialmente a cada ano centenas de condenados