Operações aéreas na Argentina são retomadas progressivamente

As operações da aviação comercial em Buenos Aires estão sendo restabelecidas progressivamente nos aeroportos Aeroparque e Ezeiza com a dissipação das cinzas do vulcão chileno Puyehue, informou nesta segunda-feira à AFP uma fonte aeroportuária.

"Já não temos cinzas. A situação meteorológica melhorou e não há partículas na superfície. Foram realizados pousos e decolagens, mas algumas companhias aéreas mantêm os cancelamentos", disse a fonte da empresa Aeroportos 2000, que pediu para não ser identificada.

Nos dois aeroportos foram registrados no domingo 146 cancelamentos de voos, segundo porta-vozes das empresas.

O Puyehue entrou em erupção no início de junho e a nuvem de cinzas afetou fortemente as localidades do outro lado da Cordilheira dos Andes, no sudoeste argentino, além de alterar por diversas vezes desde então a atividade aerocomercial na América do Sul e na Oceania.

"No Aeroparque ocorreram 14 cancelamentos e 11 atrasos nas chegadas, enquanto 14 partidas foram canceladas e 10 estão com atrasos. Foram realizados quatro pousos e quatro decolagens", segundo a fonte.

Quanto ao aeroporto internacional Pistarini, de Ezeiza, ao sul da capital, a fonte indicou que "ocorreram 12 cancelamentos de chegadas, 11 voos atrasados e quatro pousos. Entre as partidas, foram 13 cancelamentos, 10 atrasos e quatro decolagens".

"Agora são as companhias as que vão definindo se voam ou não", acrescentou a fonte.

O fenômeno das cinzas voltou no sábado após um temporal com fortes ventos no sudoeste argentino levar as partículas na direção nordeste.

As principais companhias aéreas brasileiras, Gol e Tam, anunciaram no domingo o cancelamento de seus voos com origem e destino na Argentina.