Vaticano condena ataque a igreja durante protesto em Roma

O Vaticano condenou neste domingo os atos de violência em meio à manifestação dos "indignados" no sábado em Roma, como o ataque contra uma igreja onde um crucifixo e uma estátua da Virgem Maria foram danificados.

Ao qualificar os confrontos de "horríveis", o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, "condenou a violência e o fato de uma igreja ter sido profanada por alguns manifestantes", em declaração à AFP.

Trata-se da Igreja Santos Marcelino e Pedro, localizada perto da explanada da Basílica de São João de Latrão, onde ocorreram os incidentes mais violentos.

"A estátua da Virgem Maria que estava na entrada foi arrancada e lançada na rua, onde foi danificada. Na sacristia, a porta foi destruída. O grande crucifixo da entrada também ficou danificado", completou.

Centenas de manifestantes quebraram as vitrines dos bancos, incendiaram veículos e lançaram bombas contra as forças de ordem no sábado em meio ao protesto dos "indignados" que reuniu dezenas de milhares de pessoas em Roma.

Cerca de 70 pessoas ficaram feridas, três delas com gravidade, e 12 foram detidas.