Julian Assange une-se aos 'indignados' de Londres

Cerca de 800 "indignados" se reuniram neste sábado na City, o centro financeiro de Londres, nas escadas em frente à Catedral de St. Paul, onde também estava o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, constatou a AFP.

Confrontos com a polícia começaram a ocorrer uma hora após o início do protesto, enquanto os manifestantes, alguns com máscara, tentavam se dirigir à bolsa de Londres, segundo à AFP.

Assange, rodeado por guarda-costas, foi bem recebido pela multidão e discursou aos manifestantes na escadaria da catedral.

"Uma das razões pelas quais nós apoiamos o que está acontecendo aqui no Occupy London é que o sistema bancário de Londres é um recipiente para o dinheiro da corrupção", disse o fundador do Wikileaks aos manifestantes.

Os manifestantes, cercados por três cordões policiais e por uma polícia montada atrás, carregavam bandeiras que proclamavam "Não mais cortes", em referência à política drástica de austeridade do governo britânico, ou inclusive "Goldman Sachs é obra do diabo".

O protesto faz parte de um dia de ação mundial do movimento dos "indignados", que surgiu na Espanha na primavera (boreal).