Cuba: Obama elogia líder das Damas de Branco, morta na sexta-feira

O presidente americano, Barack Obama, lembrou neste sábado o trabalho pela liberdade da líder do grupo opositor cubano, Laura Pollán, que morreu na sexta-feira em Havana.

"Pollán e a silenciosa dignidade das Damas de Branco deram voz de forma valente ao desejo dos cubanos e de todo o mundo de viver em liberdade", afirmou o presidente em comunicado.

A principal líder das Damas de Branco, grupo de mulheres de ex-presos políticos, morreu na noite de sexta-feira de uma parada cardiorrespiratória aos 63 anos em um hospital de Havana, onde tinha sido internada havia uma semana com insuficiência respiratória.

"As orações do presidente (Obama) estão com a família, amigos e colegas de Laura Pollán", afirmou a Casa Branca.

O governo americano reconheceu que "através de suas ações valentes, as Damas de Branco conseguiram chamar a atenção sobre o sofrimento daqueles que foram injustamente mantidos em prisões cubanas e impulsionaram as autoridades a libertar os prisioneiros políticos".