Ministro nega internação de emergência de Chávez

Pouco depois de o jornal El Nuevo Herald ter publicado que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fora internado de emergência no Hospital Militar de Caracas com insuficiência renal, o ministro de Comunicação do país sul-americano, Andrés Izarra, por meio de seu twitter, negou a informação.

"Quem deveria ser internado, mas em um manicômio, são os jornalistas do Nuevo Herald", escreveu Izarra. O jornal citara fontes, que não quiseram se identificar, para informar sobre a suposta ida de Chávez ao hospital.

Chávez teria sido levado na manhã de terça-feira ao Hospital Militar e os médicos analisariam sua transferência ao Hospital das Clínicas de Caracas, revelou o jornal. "Seu estado geral está comprometido. Chegou em situação bastante grave e foi trazido de emergência", revelaram as fontes ao Nuevo Herald, de Miami.

Chávez voltou na quinta-feira passada à Venezuela, após se submeter em Cuba a mais um ciclo de quimioterapia contra um câncer. No domingo, o presidente garantiu que está "saudável" e que a quimioterapia não lhe causa efeitos colaterais, em um telefonema transmitido pela TV estatal venezuelana.