Momento Itália-Brasil traz parcerias culturais e empresariais

Assim como em 2005, quando os governos francês e brasileiro lançaram uma parceria que resultou no Ano da França no Brasil, este ano será comemorado o Momento da Itália no Brasil. No calendário estão mais de 400 eventos culturais que vão homenagear a saga dos imigrantes italianos no nosso país. 

Algumas das atividades já começaram, mas a grande maioria começa no próximo mês e o público vai poder conhecer os pedacinhos da Itália que perduram em todo o Brasil através da arquitetura, arte, ciência, cinema, enogastronomia, esporte, moda, música, teatro e dança.

O símbolo criado para representar este momento é de autoria do publicitário Washington Oliveto, cuja família é oriunda de Portofino, na província de Génova.A logomarca representa o Cristo Redentor em cima do Coliseu, dois símbolos internacionalmente reconhecidos. Outro nome ilustre que se envolveu com a organização desta troca cultural foi o cantor Gilberto Gil, que compôs uma música para expressar as ligações entre os dois países e os dois povos.

Segundo o embaixador da Itália no Brasil, Gherardo La Francesca, a iniciativa surgiu no Ministério de Relações Exteriores italiano, há mais de dois anos, em uma reunião onde foram planejadas iniciativas para estimular a cooperação com alguns países. O Brasil foi escolhido por ser o país com maior coletividade de origem italiana do mundo: mais de 30 milhões.

“Existem tantas coisas em comum entre as duas culturas e uma facilidade de comunicação imensa. Os dois povos se comunicam bem, mesmo quando um não fala a língua do outro. Além disso, o jeito brasileiro e o jeito italiano são muito parecidos”, diz Gherardo.

Mas, apesar da forte ligação cultural, o Momento Itália no Brasil também vai trazer importantes colaborações empresariais. Assim como em outros campos, a parceria entre empresários de ambas as origens é bem expressiva, e a Câmara de Comércio Brasil-Itália está fazendo um mapeamento das empresas italianas presentes em solo tupiniquim para um Fórum Empresarial.

Agora que as classes consumidoras estão crescendo por aqui, é essencial que o Brasil produza novidades nos mais diversos setores e, para isso, precisa de uma capacidade produtiva. A Itália tem um potencial não completamente utilizado e por isso temos pressupostos de uma troca muito interessantes para ambas as partes”, comenta o embaixador.

De acordo com Pietro Petraglia, presidente da Câmara de Comércio Brasil-Itália, o Fórum Empresarial vai juntar lideranças italianas em setores estratégicos, além dos ministérios de Desenvolvimento e do Meio Ambiente italianos.

“A Itália tem muita tecnologia e pode ajudar no desenvolvimento do Brasil. A ideia é ter um contraste de opiniões, uma via de mão dupla. Fizemos o mapeamento de todas as empresas italianas e com proprietários italianos por aqui. O resultado desta pesquisa ainda será divulgado e o Fórum deve acontecer em outubro do próximo ano”, informa Petraglia.

Eventos culturais

O evento inaugural acontece nos dias 15 e 16 de outubro, com uma apresentação do espetáculo Ensaio sobre a beleza, do Studio Festi, no Rio de Janeiro. Mas, antes disso, o Brasil vai participar como co-presidente da América Latina na Conferência Itália e do Meeting International, ambos em Roma. As produções cinematográficas italianas terão destaque no Rio Film Festival, que começa no próximo dia 6, além de uma mostra sobre a artista plástica ítalo-brasileira Maria Bonomi, no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília.

No Rio de Janeiro, a primeira exposição do Momento Itália no Brasil vai acontecer no Arquivo Nacional (Centro) e se chamará Viagens italianas, em cartaz de 20 de outubro a 10 de fevereiro de 2012. Segundo as pesquisadoras e curadoras, Claudia Heynemann e Renata William Santos do Vale, além das viagens dos imigrantes italianos ao Brasil, o tema atravessa a exposição estando presente na guerra, na cartografia, nos mapas e no Renascimento.

A exposição, que demorou oito meses para ficar pronta e tem mais de 400 imagens, será composta por documentos do acervo da instituição e do Arquivo do Estado de Roma, com originais de livros, obras raras, manuscritos, gravuras, litografias, fotografias, cartografia, filmes e gravações em torno do tema da cultura e história italianas e sua relação com o Brasil em diferentes épocas.

Quatro módulos vão separar os temas. No primeiro, serão expostos livros raros que evidenciam o vínculo da época moderna com a origem greco-romana. O segundo módulo mostra a presença de imigrantes italianos no Brasil, o terceiro sobre a presença do Brasil na guerra, com imagens inéditas cedidas pelo Arquivo de Estado de Roma, e o quarto módulo aborda as produções cinematográficas italianas no pós-guerra. 

 “A imigração e a guerra vão ser temas mais chamativos para os visitantes, mas os colecionadores certamente vão ficar loucos com os livros de horas, que são realmente muito raros e ninguém tem. Vamos ter uma grande vitrine sobre imigração, mostrando o que era um registro de estrangeiro, como eram as carteirinhas, os passaportes. Toda a parte fria da imigração, que a princípio servia para identificá-los, acaba contando uma história. E é tudo original”, ressalta Claudia.