Ataques no Iraque deixam pelo menos 13 mortos

Pelo menos 13 pessoas morreram, este domingo, em vários ataques no Iraque, dez delas na cidade santa xiita de Kerbala, 110 km ao sul de Bagdá. 

"O número final de vítimas nos atentados de Kerbala é de 10 mortos e 110 feridos’, declarou à AFP Alaa Hamudi, chefe do departamento de Saúde desta província. 

Uma bomba explodiu por volta das 09h30 locais (03h30 de Brasília), perto de escritórios de entrega de passaportes e carteiras de identidade. 

Mais tarde, quando chegaram os primeiros socorros, foram ouvidas outras três explosões, informou uma fonte policial. As explosões danificaram vários edifícios. 

O tenente-general Othman al Ghanimi, comandante das forças militares da província de Kerbala, explicou que as quatro explosões ocorreram por causa de duas bombas colocadas à margem de uma rua, de um carro-bomba e de um terrorista suicida que detonou os explosivos que levava junto ao corpo.  

Segundo ele, dez pessoas morreram e 86 ficaram feridas nos ataques. 

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al Maliki, e o presidente do Parlamento, Iyad al Usama al Nujaifi, condenaram os atentados. 

A missão de assistência da ONU no Iraque (Unami) também condenou os ataques de Kerbala em um comunicado. 

Outras três pessoas morreram este domingo em outros ataques cometidos em pontos diferentes do Iraque. 

Em Ramadi, 100 km a oeste de Bagdá, duas bombas colocadas à margem de uma rua mataram duas pessoas e feriram seis, informou um oficial de polícia e um membro de uma milícia anti-Al Qaeda. O ataque aparentemente tinha como alvo um líder tribal. 

No norte de Bagdá, o motorista de um alto funcionário do ministério de Direitos Humanos morreu atingido por disparos, informou uma fonte do ministério do Interior.