Perito da ONU pede acção contra tortura na Tunísia

O relator especial da ONU sobre a Tortura lançou esta terça-feira um apelo urgente ao governo tunisino para aproveitar a transição política para criar instituições condições de salvaguarda contra o flagelo.

Em comunicado publicado após uma visita à capital, Tunes, Juan Méndez, frisou que uma atitude passiva desperdiçaria oportunidade da tomada de medidas firmes para fazer justiça às vítimas de abusos do presente e do passado.

Manifestações

Em Janeiro, o país foi palco de protestos que culminaram com a queda do ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali. Os levantes desencadearam manifestações anti-governamentais no Norte de África e Médio Oriente.

O perito sublinhou que a transição tunisina pressupõe grandes desafios mas também alimenta esperanças de um futuro melhor.

De acordo com Méndez, o governo tunisino deve demonstrar a sua vontade e capacidade de "romper o ciclo de impunidade herdado de um regime em que a tortura era uma prática quase rotineira."

Depois de reconhecer que não será fácil eliminar os hábitos, o perito pediu medidas estritas para garantir o fim da cultura de impunidade.