EUA venderam secretamente bombas anti-bunkers a Israel 

Os Estados Unidos autorizaram secretamente a venda de 55 poderosas bombas anti-bunkers a Israel, indicou nesta sexta-feira a revista Newsweek em seu site. 

Israel pedia desde 2005 o fornecimento de bombas GBU-28 de alta penetração, capazes de destruir um bunker embaixo da terra. Mas o Pentágono chegou a bloquear o projeto, temendo que Israel transferisse a tecnologia para a China, informou a Newsweek. 

O presidente George W. Bush informou ao primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que as bombas seriam fornecidas em 2009-2010, segundo a Newsweek, que cita autoridades americanas e israelenses, que pediram para não serem identificadas. 

Embora não haja sinal algum da venda de 55 dessas armas no site da Agência de Cooperação de Defesa e de Segurança (DSCA) encarregada das vendas de armas americanas, uma autorização de venda de 50 dessas bombas foi notificada pela DSCA no dia 3 de agosto de 2007. 

As vendas de armas para o exterior são normalmente alvo de notificações públicas no Congresso, que tem autoridade para eventualmente bloqueá-las. 

"Não faremos comentários’, declarou o porta-voz do Pentágono, George Little, que, entretanto, indicou que os Estados Unidos permanecem comprometidos a ajudar Israel a manter sua superioridade militar na região.