Abbas pede à ONU adesão de Estado palestino 

Governo de Israel lamenta pedido palestino

O presidente Mahmoud Abbas apresentou à ONU, no início da tarde desta sexta-feira, o pedido de adesão do Estado da Palestina. O pedido de reconhecimento foi feito durante a Assembleia Geral, que acontece em Nova York. 

O discurso de Abbas estava sendo aguardado com muita expectativa, principalmente na Cisjordânia. A Autoridade Palestina colocou telões no centro de Ramallah para que a multidão assistisse ao pronunciamento de Abbas, marcado para as 18h30 locais, 12h30 em Brasília.

Uma cadeira gigante foi montada, para simbolizar o assento pedido por Abbas na ONU, que seria o número 194 da organização.

Centenas de milhares de pessoas saíram às ruas em manifestações de apoio a Abbas, nas principais cidades da Cisjordânia.

Para muitos palestinos esta sexta feira é um dia histórico, pois 44 anos após a guerra de 1967 e 63 anos após a fundação do Estado de Israel, um presidente palestino se dirigiu aos 193 países membros da ONU para pedir o reconhecimento da Palestina.

O Hamas, grupo que controla a Faixa de Gaza desde 2007, proibiu a manifestações em favor da iniciativa palestina no território. O grupo é contra o pedido de reconhecimento pois entende que um Estado Palestino nas fronteiras pré-1967 significaria aceitar implicitamente o Estado de Israel na área estabelecida em 1948.

O Exército israelense se preparou para manifestações de palestinos junto aos pontos de checagem e providenciou diversos tipos de armamentos não letais para dispersar os manifestantes.

Em nota, o governo de Israel lamentou o pedido palestino de adesão à ONU.