Operação das forças de segurança sírias deixa um morto

As forças de segurança sírias mataram uma pessoa nesta terça-feira durante uma incursão na região de Deir Ezzor (leste), informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Por sua vez, durante a madrugada, o exército sírio se mobilizou em Zabadani, 50 km a oeste de Damasco, onde mais de 25 pessoas foram detidas, segundo os Comitês locais de coordenação (LCC), que dirigem as mobilizações.

Na segunda-feira à noite ocorreram manifestações em Deraa (sul) e em Homs (centro). Os manifestantes queimaram uma bandeira russa e denunciaram o apoio de Moscou ao regime do presidente sírio Bashar al-Assad, acusando a Rússia de "participar assim no assassinato do povo sírio".

Nesta terça-feira, os militantes convocaram "um dia de ira" para protestar contra o apoio russo ao regime, apesar da repressão, que deixou ao menos 2.600 mortos, segundo a ONU, sem que a contestação tenha diminuído nos últimos seis meses.

Na segunda-feira, o presidente russo, Dmitri Medvedev, considerou inútil impor novas sanções ao regime sírio, aliado há tempos de Moscou.