Embaixadores de EUA e França na Síria dão pêsames por morte de militante

Os embaixadores de Estados Unidos e França viajaram nesta terça-feira a Daraya, na região de Damasco, para apresentar suas condolências após a morte do militante Ghiyath Matar, morto sob tortura, segundo a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW).

Segundo grupos de militantes, o embaixador americano, Robert Ford, chegou a Daraya na companhia do colega francês, Eric Chevallier, para apresentar os pêsames pela morte de Matar.

Detido em 6 de setembro, Ghiyath Matar morreu na prisão após ser torturado, informou o HRW, citando militantes no local.

O manifestante, de 26 anos, havia desaparecido no mesmo dia em que foi preso com um de seus amigos, Yahya Charbaji, organizador dos protestos pacíficos contra o regime de Bashar al-Assad.

Segundo a HRW, o corpo de Ghiyath Matar, que também desempenhou um papel-chave na organização dos protestos contra Bashar al-Assad, foi entregue à família no sábado.

Ele tinha contusões no tórax e ferimentos no rosto, segundo militantes que afirmaram que foi "torturado até a morte", acrescentou a organização.