EUA atribuem atentado a base da Otan no Afeganistão à rede Haqqani

Os Estados Unidos atribuíram nesta segunda-feira a militantes da rede Haqqani o atentado a bomba de sábado passado contra um quartel da Otan no centro do Afeganistão, no qual duas pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas.

"Acreditamos que os autores do ataque pertencem à rede Haqqani", disse o secretário de imprensa do Pentángono, George Little.

Esta organização, fundada por Jalaluddin Haqqani e aliada dos talibãs, atua a partir do Paquistão e foi acusada de alguns dos ataques contra americanos mais fortes no Afeganistão, incluindo um atentado suicida em uma base dos Estados Unidos na província oriental de Khost, em 2009, que tirou a vida de sete agentes da CIA.

"Há uma possibilidade muito forte de que altos membros da Haqqani tenham apoiado o ataque", acrescentou Little.

Segundo os Estados Unidos, o ataque de sábado, em que um terrorista suicida detonou um veículo cheio de explosivos na entrada da base de Sayed Abad, na província de Wardak, matou duas pessoas e deixou 77 soldados americanos e 25 afegãos feridos.

Outro porta-voz do Pentágono, o capitão John Kirby, indicou que para esta ação foi utilizado "um caminhão com uma grande quantidade de material explosivo".