Patriota chega amanhã à Turquia para preparar visita de Dilma 

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, desembarca amanhã na Turquia, onde fica até segunda-feira (12) para preparar a visita da presidente Dilma Rousseff ao país, prevista para outubro. Patriota tem reuniões marcadas com o presidente da Turquia, Abdullah Gül, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Ahmet Davuto?lu.

O governo da Turquia é hoje um dos principais interlocutores na crise que atinge os países muçulmanos no Norte da África e Oriente Médio. Paralelamente, o Brasil e a Turquia estão em um momento de multiplicação dos contatos e aprofundamento da cooperação, segundo o Itamaraty. O objetivo da visita de Patriota é também ampliar a agenda bilateral e global.

Apenas no primeiro semestre deste ano, o comércio bilateral entre os dois países registrou volume superior a US$ 1,5 bilhão. Os principais investimentos se concentram nos setores de produtos químicos, eletrodomésticos, peças e acessórios para veículos automotores.

A próxima viagem internacional de Dilma é a Nova York, para onde viaja dia 16. Pela primeira vez, a presidenta participa de uma reunião da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na ocasião, ela também participará de reuniões paralelas e há a previsão de ali o Brasil confirmar seu apoio ao governo de transição na Líbia, comandado pela oposição ao presidente Muamar Kadhafi.

Dilma, no entanto, ainda não fechou a agenda de viagens internacionais. Assessores da Presidência da República sinalizaram que está nos seus planos visitas à Colômbia, à Venezuela, ao Uruguai e ao Paraguai, na América do Sul. Antes dos países vizinhos, a presidenta vai a Bruxelas, na Bélgica, onde participa de reuniões de parceria estratégica. Em seguida, fará viagens à Bulgária – país de origem de sua família paterna – e à Turquia.  

Dilma já visitou a Argentina, o Peru, Paraguai e Uruguai. Antes das visitas da presidenta, Patriota vai aos países onde ela pretende ir. O chanceler disse que em dezembro conclui as visitas aos 12 países que integram a América do Sul. Antes de a presidenta ir a um determinado país, o ministro vai ao local para negociar acordos e examinar as demandas e expectativas. Segundo ele, falta apenas o Suriname, para onde pretende viajar em breve.