Mais de 400 feridos em invasão à embaixada israelense no Cairo

Egito declara estado de alerta e pede que Estados Unidos protejam o prédio

Uma fonte dos serviços de segurança disse à agência de notícias estatal "Mena" que o ministro do Interior, Mansur Esaui, ordenou o estado de alerta para controlar a situação na área, onde pelo menos 448 pessoas ficaram feridas em choques entre milhares de manifestantes e policiais.

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, pediu neste sábado ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Penetta, ajuda para proteger a embaixada de Israel no Cairo, horas após o prédio ser invadido por manifestantes. 

>> Blindados seguem para embaixada de Israel no Cairo

>> Embaixador israelense no Cairo se prepara para deixar o país

O gabinete de Barak informou que o ministro telefonou a Panetta e ao emissário do presidente Barack Obama para o Oriente Médio, Dennis Ross, para relatar a situação na sede diplomática israelense no Cairo. 

A embaixada de Israel no Cairo foi invadida na noite de sexta-feira por manifestantes que jogaram milhares de páginas de documentos "confidenciais" de um dos escritórios da sede diplomática, observou a AFP no local. 

O Ministério do Interior do Egito declarou estado de alerta nesta sexta-feira para enfrentar os distúrbios nos arredores da Embaixada de Israel no Cairo, que foi invadida por manifestantes.

Com agências