Casa Branca reafirma tratados com Coreia do Sul, Colômbia e Panamá

Os Tratados de Livre Comércio (TLC) com a Coreia do Sul, Colômbia e Panamá que os Estados Unidos devem ratificar não estão sujeitos à aprovação do plano de emprego apresentado pelo presidente Barack Obama ante o Congresso, afirmou nesta sexta-feira Mark Pyle, assessor econômico de Obama. 

"Os TLCs não formam parte da legislação da Lei Americana sobre Empregos (American Jobs Act)’, explicou Pyle em coletiva de imprensa realizada por telefone. 

"O presidente vê os tratados como uma parte extraordinariamente importante da estratégia de criação de emprego’, disse o porta-voz. 

Obama ratificou seu apoio aos TLCs em seu discurso no Congresso, feito na quinta-feira, quando anunciou um plano de ajuda de 447 bilhões de dólares. 

De acordo com a Casa Branca, o projeto de Obama proporcionará ajuda a mais de um milhão de hispânicos que não encontraram trabalho nos últimos seis meses, mediante uma extensão das ajudas. 

Os cortes de impostos poderão beneficiar igualmente a 250.000 pequenas empresas latinas.