Reino Unido criou célula secreta para cortar petróleo de Kadhafi

A Grã-Bretanha criou uma "célula petroleira" secreta em Londres para tentar cortar o fornecimento de petróleo a Muamar Kadhafi e garantir que os rebeldes tivessem combustível suficiente para seguir lutando contra o regime, afirmou nesta quinta-feira uma fonte diplomática.

A "célula", formada por um pequeno número de funcionários de alto escalão e militares, foi criada no ministério britânico de Relações Exteriores em abril, quando o governo percebeu que as sanções impostas pela União Europeia (UE) a empresas petroleiras e portos líbios afetavam menos o regime de Kadhafi e mais os rebeldes que tentavam derrubá-lo.

"O petróleo era uma parte muito importante da máquina militar de Kadhafi", disse a fonte à AFP, confirmando informações publicadas pelo jornal The Times e pela rede de televisão BBC.

"Nossa estratégia em relação ao regime de Kadhafi era pressioná-lo em todos os níveis, levando em conta elementos diplomáticos, políticos e econômicos", disse. "A célula petroleira era parte do enfoque multifacetado e conjunto do governo", acrescentou.

A "célula petroleira" era responsável por reunir inteligência sobre os movimentos de petróleo e combustível, e de transmitir esta informação ao governo e à Otan, responsável pela coordenação da operação militar internacional na Líbia desde o fim de julho.

Segundo a BBC e o Times, a equipe de seis membros recomendou à Otan o bloqueio dos portos controlados por Kadhafi, identificou os portos que precisava interceptar e ajudou a localizar as rotas utilizadas para fazer chegar combustível ilegalmente ao regime.

Também se assegurou de que as sanções fossem reformuladas para que os rebeldes pudessem ter acesso a combustível procedente do exterior, e incentivou companhias estabelecidas no Reino Unido a vender combustível a eles.