EUA afirmam que Assad está 'cada vez mais isolado' na Síria

Os Estados Unidos asseguraram nesta segunda-feira, em reação aos pronunciamentos de Turquia e da Liga Árabe, que o presidente sírio, Bashar al-Assad, e seu regime estão "cada vez mais isolados".

"Assad está cada vez mais isolado, a comunidade internacional exige cada vez mais com uma só voz o fim imediato da violência", assegurou Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado.

O presidente turco, Abdullah Gül, afirmou no domingo que seu país não tem mais confiança no regime de Damasco, cuja repressão das manifestações deixou mais de 2.200 mortos desde março, segundo a ONU. Os ministros árabes das Relações Exteriores pediram no sábado "o fim do derramamento de sangue e a entrada no caminho da razão antes que seja tarde demais".

Nuland também fez referência à "preocupação manifestada pelo presidente russo, (Dmitri) Medvedev".

Mas um emissário russo assegurou nesta segunda-feira em Damasco que a posição russa não mudou: Moscou se limita a pedir a realização de reformas ao regime de Assad.

Washington "intensifica seu trabalho" na ONU com a esperança de aprovar sanções, disse Nuland nesta segunda-feira: "Será uma prioridade diplomática nos próximos dias e semanas".